“Somos um território e somos uma identidade”

0

Foi lançado hoje, 24 de setembro, o azeite “20 Oliveiras – Azeite d’Óbidos”. Um projeto do Espaço Ó, inserido no programa “Ativa-te”. A cerimónia aconteceu durante o FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos, na livraria da Adega, e contou com a presença dos produtores do azeite, do presidente da Câmara Municipal de Óbidos e da comunidade. “Esta foi uma aventura e um desafio, numa estratégia de valorização das nossas gentes e do melhor que se faz por cá”, resume Joana Rodrigues, do Espaço Ó.

Para Humberto Marques, “este é um momento muito especial”. “Este projeto demorou o seu tempo, porque tudo isto é um caminho que se tem de fazer e foi fruto de muito sonho e inquietação”, realça o presidente da Câmara Municipal de Óbidos. O autarca explica que o que quer do Espaço Ó “é um olhar para o território, com a criatividade a ser um meio para atingir os objetivos”. “Nós somos um território e somos uma identidade e o desafio é descobrir os nossos talentos e colocar cá para fora a sua utopia”, sublinha.
Recorde-se que este azeite vem acompanhado e um livro. Dentro deste livro, moram temperos quentes e macios, deleite para mentes inquietas e palatos difíceis. Através da palavra, dá-se Título aos Azeiteiros da Terra e contar uma aventura onde a Azeitona é Rainha, o Azeite Rei, o Olival cenário, o lugar inspiração, a Oliveira Mãe, o livro Corpo e a literatura veículo.
“20 Oliveiras” é fruto de Hugo Agostinho e Norberto Figueira, os Azeiteiros da terra, homens da comunidade e do trabalho. Colaborado e pensado em muitas cabeças, este produto é fórmula e resultado da estratégia territorial a que se propõe dar voz e ativar as nossas gentes, a nossa terra.

Sobre o programa Ativa-te


A ideia do programa Ativa-te é desafiar as pessoas! É uma provocação! É criar oportunidades e este é o desafio que temos para a nossa comunidade, para que saiam da zona de conforto.
Neste território, neste lugar, em que todos temos a obrigação de sonhar e de concretizar, é também o mesmo território que tem de ajudar os outros a concretizar. O Programa “Ativa-te” pretende isso mesmo. É preciso ativar a comunidade, as pessoas que sentem que não têm oportunidade. A ideia, por si, não vale, só a sua concretização em produto final acaba por ter valor e este processo não é assim tão longínquo.

Partilhar