Claudia Dowek

0

Rio de Janeiro, Brasil, 1974 – Claudia Dowek é pós-graduada em Estética (PUC, RJ) e licenciada em Design Gráfico (Faculdade da Cidade, RJ). Atualmente vive em Lisboa e finaliza Mestrado em Escultura na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa.
Artista visual e produtora de eventos culturais, organizou exposições, palestras e mostras de filmes de arte. Trabalhou no Museu Nacional de Belas Artes (RJ, Brasil) e deu aulas em escolas e comunidades.
Sua pesquisa estético-visual conduziu-a à psico-antropologia, buscando discutir as relações criadas entre o homem e o seu meio e a consequente (des)conexão com o seu íntimo.
Realizou diversas exposições, tendo obras em coleções particulares no Brasil e no exterior. Em 2015 recebeu prêmio do Fundo de Cultura de Goiás (BR) e realizou itinerância de sua exposição “Névoa Baixa, Sol que Racha” pelo estado.

Dentre suas principais exposições, destacamos algumas:
2017- Cubo Além Mar (Coletivo Dez ao Cubo), Fábrica Braço de Prata (LX, PT); Claustro 8 (LX, PT); Cubo Além  do Cubo (Coletivo Dez ao Cubo), Centro de Artes Calouste Gulbenkian (RJ, BR). 2016- Ocupa Cubo (Coletivo Dez ao Cubo), Centro de Artes Calouste Gulbenkian (RJ, BR); Salve São Jorge, Centro Cultural Laurinda Santos
Lobo (RJ, BR). 2015- Névoa baixa, Sol que Racha (Itinerância), Vila Cultural Coral Coralina (Goiania, BR); Quadrilátero Cultural dos Pirineus (Pirenópolis, BR); NACO – Núcleo de Arte do Centro Oeste (Olhos D’Água, BR); Festival de Esculturas do Rio, CCJF (RJ, BR); Transbordarmentes, UFF (RJ, BR). 2014- Mostra Rio de Esculturas Monumentais, Praça Paris (RJ, BR); Videoinstalação, Casa de Cultura da América Latina – CCAL UnB (Brasília, BR); Salve São Jorge, Espaço Eu Vira (RJ, BR); 2013-Névoa baixa, Sol que Racha, Centro Cultural Justiça Federal (RJ, BR). 2012 – ELEMENTA 5, Centro Cultural Correios (RJ, BR); Trânsito Caótico, Espaço Maria Teresa Vieira (Rio de Janeiro, BR); Lá Vai a Noiva, CEDIM E SESC (RJ, BR). 2011- Nação Zumbi, Galeria Colorida (LX, PT). Salve São Jorge, CAZA (RJ, BR); Cor de Rosa Choque, CEDIM (RJ, BR). 2010- Ciclos, Chácara do Céu (RJ, BR); Imaginário Periférico, Projeto Mola no Circo Voador (RJ, BR). 2008- Museu do Retrato (Recife, BR). 2004- Poematrix, Dama de Ferro (RJ, BR); Vestível, Performance do Coletivo Imaginário Periférico (Nova Friburgo, BR). 2003- Banheiro de Portas Abertas, Dama de Ferro (RJ, BR). 2001- Xavenas (LX, PT); Linguagem, Espaço Cultural Antônio Bernardo (RJ, BR); Salão da Primavera (Resende, BR). 2000/2001 – Jardinvenção I e II, Jardim de Alah (RJ, BR). 1999- Solar Grandjean de Montigny (RJ, BR).

Abaeté (Homem verdadeiro em Tupi-Guarani): Sua presença é marcada pelo sopro, sua verdade expressa no caminhar. Seu olhar, em busca de um interlocutor, confunde sujeito e objeto, que se mesclam no espaço, completando o intuito da obra.

Criação e edição: Claudia Dowek
Performer: Alessandra Velho
Título: Abaeté
Videoinstalação – 2018

Esta videoinstalação integra o Mestrado em Escultura, da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa.

Agradecimentos: À Sandra Tapadas,, Miguel Soares, Alexandre Alagoa e Fernando Fadigas.

Voltar às Biografias
Partilhar